Distúrbios Alimentares x Imposições da sociedade

Também chamados de transtornos da alimentação, os distúrbios alimentares são classificados como distúrbios mentais que causam diversos prejuízos à saúde física e psicológica do indivíduo, e podem ser caracterizados principalmente por uma intensa preocupação por ganhar peso, por um medo excessivo de ingerir qualquer tipo de alimento e engordar, e por uma percepção distorcida de auto imagem corporal, experimentada por um desejo intenso por ser, e por ter o corpo “perfeito”.

Para descrever os distúrbios alimentares, é possível dividí-los em quatro tipos principais: A Anorexia Nervosa, a Bulimia, a Obesidade e a Hiperfagia Associada, os quais serão descritos neste artigo.

Os Tipos mais comuns de distúrbios alimenateres

Dentre os tipos mais comuns de transtornos alimentares, estão a anorexia nervosa, que é caracterizada por uma restrição da ingestão de alimentos por medo excessivo de engordar, e esse medo é compensado emagrecimento frequente, tendo como resultado o peso e as medidas corporais muito baixos, e a pessoa vê a comida como prejudicial, mantendo distância de todos os tipos de alimentos.

Existe também a Bulimia, que se diferencia da anterior por ser caracterizado por uma compulsão imensa por comer. Geralmente são escolhidos alimentos muito calóricos e com grande quantidade de açúcar e gorduras, e, posteriormente, o indivíduo que sofre de Bulemia provoca o vômito para aliviar o sentimento de culpa pela ingestão exagerada de comida, que provoca também a ansiedade e o pavor de engordar, como afirma a American Psychiatric Association, no Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais.

Há ainda alguns pacientes que acabam ingerindo laxantes, associados ou não aos vômitos que podem causar desidratação e perdas de nutrientes importantes para o organismo.

A obesidade também pode ser caracterizada por um distúrbio alimentar, e pode ser originada, muitas vezes, por problemas emocionais. Neste caso, se instala uma relação disfuncional com a comida, sendo ela eleita como a única fonte de prazer desse indivíduo, que geralmente possui hábitos alimentares prejudiciais, e que podem levá-lo à diversos problemas de saúde e até à morte devido ao excesso de peso.

Por fim, podemos falar da Hiperfagia Associada. Esse dstúrbio alimentar é caracterizado por um aumento anormal do apetite, ou por uma ingestão excessiva de alimentos e à falta de saciedade, mas está geralmente associada à lesões no hipotálamo.

Geralmente, todos estes transtornos estão associados à uma visão distorcida que o indivíduo tem do próprio corpo e também da comida, sendo estabelecida uma relação disfuncional com o alimento, que pode ser visto como prejudicial e grande vilão. Nesses casos, o alimento pode inclusive ter o papel de válvula de escape ou única fonte de prazer do indivíduo.

Distúrbios alimentares podem ter também causas culturais como “gatilho”, como quando a pessoa mantém a tentativa de se encaixar no protótipo de beleza, de magreza e de “perfeição”, e de se manter inserido em um padrão estético, que muitas vezes nem existe.

O tratamento dos distúrbios alimentares

De toda forma, qualquer distúrbio alimentar deve ser tratado por uma equipe multidisciplinar, composta por médicos, nutricionistas, psicólogos, psiquiatras, dentre outros, uma vez que distúrbios alimentares são transtornos de causa psíquica, com prejuízos físicos, e que necessita de uma visão e intervenção multidisciplinar.

Esse tipo de intervenção é necessária para ser possível o alcance dos resultados, para diminuição dos sintomas, e para a recuperação da saúde global do indivíduo, sendo que a intervenção de apenas uma dessas especialidades não se faz totalmente eficaz.

Vale ressaltar ainda que o corpo perfeito existe somente nas redes sociais e nas fotografias profissionais, e que ele é apenas fruto de um produto da mídia, modificado e aperfeiçoado com a ajuda da tecnologia, na maioria das vezes, além de não se tratar da vida real.

Inclusive, são conhecidos casos de profissionais dessa indústria que sofrem com um ou mais desses transtornos citados anteriormente. Portanto, ao olhar para o espelho, é importante que você enxergue seus pontos fortes e o seu valor. Não existe corpo perfeito, vida perfeita, beleza perfeita!

A auto-aceitação e a auto-valorização também são muito importantes para a saúde mental e física de todos.

Para finalizar, encontro a importância de destacar que, caso você identifique qualquer problema relacionado com o assunto abordado, não hesite em buscar ajuda profissional. Esses transtornos podem levar uma pessoa à morte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: