Como fica a saúde mental de pacientes que tiveram Covid-19?

Como fica a saúde mental de pacientes que tiveram Covid-19

O risco de ser contaminado, o isolamento ou até a internação, as constantes visitas ao hospital, o medo de perder o emprego, a ameaça da falência e outras dezenas de fatores podem afetar gravemente a saúde mental de pacientes positivados para a Covid-19.

Se a saúde física é a primeira preocupação da ciência numa pandemia, outros cuidados merecem atenção, como a saúde mental e as questões emocionais, que sofrem profundos impactos em pacientes que se recuperam da Covid-19.

Estudos apontam riscos da Covid-19 à saúde mental

Estudo recente promovido por especialistas da Universidade de Oxford, na Inglaterra, e publicado no periódico The Lancet Psychiatry, apontam que 18% dos pacientes que se recuperaram da Covid-19 receberam diagnóstico de algum transtorno mental.

A taxa representa quase um em cada cinco pacientes positivados, e é menor que os 13% dos que recebem diagnóstico psiquiátrico após uma gripe.

Os números também estão bem abaixo dos 2,5% dos diagnosticados com outras doenças, como infecção respiratória ou de pele, e cálculos biliares e renais. 

Os estudos foram realizados entre janeiro e agosto de 2020, com cerca de 70 milhões de pacientes nos Estados Unidos, sendo 62 mil casos de Covid-19 que não necessitaram internação hospitalar.

Esse estudo, porém, não apresentou análises de uma possível ligação entre contrair Covid-19 e um posterior quadro de saúde mental comprometido.

De acordo com um dos autores da pesquisa, e professor de psiquiatria da Universidade de Oxford, Paul Harrison, os transtornos mentais podem ocorrer por inúmeros fatores, como possíveis efeitos neurológicos ou biológicos provocados pelo próprio vírus.

Além disso, efeitos colaterais advindos do uso de medicamentos para tratar a Covid-19, e até mesmo a preocupação, o medo e a ansiedade de contrair o vírus também podem ter participação nesses diagnósticos.

Pandemia de saúde mental provocada pela Covid-19

Outro estudo, realizado por cientistas e pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e da Universidade Federal Fluminense (UFF), também sugere que a Covid-19 traz riscos à saúde mental dos pacientes.

A infecção e o distanciamento social podem provocar alterações neurais, imunes e endócrinas, contribuindo, assim, para distúrbios psicológicos.

Os pesquisadores afirmam que pacientes diagnosticados com doenças respiratórias, como a SARS e a MERS, também tiveram impactos na saúde mental. 

Algumas pesquisas identificaram quadros de saúde mental prejudicada em pacientes que tiveram a Covid-19, como perda de memória, alterações do sono e maiores níveis de estresse pós-traumático, depressão e ansiedade.

Esses transtornos, inclusive, acompanharam os pacientes ao longo de meses ou anos após a recuperação do quadro viral daquelas doenças.

O imunologista Wilson Savino fala de uma nova pandemia que poderá surgir, provocada pelo Coronavírus, mas dessa vez, afetando gravemente a saúde mental: “Se nada for feito, provavelmente enfrentaremos uma nova ‘pandemia’ no futuro, relacionada à saúde mental”.

Segundo ele, é necessário que a ciência compreenda a fisiologia da Covid-19, e os efeitos causados pela infecção do sistema nervoso central: “assim como os efeitos da pandemia em indivíduos saudáveis impactados pela situação de distanciamento social”.

Coronofobia: os impactos do Coronavírus na saúde mental

E mesmo aqueles que não foram infectados não estão imunes à adquirir quadros psiquiátricos após a pandemia.

O medo de ficar doente ou ver algum amigo ou membro da família adoecer, o risco de perder o emprego, a ameaça da falência de um negócio ou empresa também são fatores que geram enormes preocupações nos seres humanos.

Atravessar um momento de pandemia definitivamente não é fácil. E a resiliência precisa ser treinada e colocada em prática, a fim de não abater o emocional dos indivíduos, ou então recuperar aqueles que foram gravemente afetados, direta ou indiretamente pela doença.

A coronofobia expressa os medos, a ansiedade e os demais transtornos causados pela pandemia. 

Entre as principais características da coronofobia, estão:

  • O medo de morrer
  • O medo de ficar gravemente doente
  • A preocupação quanto à contaminação de outras pessoas
  • A mudança da rotina
  • A adaptação de novos hábitos

Os quadros mais comuns apresentados por indivíduos acometidos pela coronofobia, são:

  • Ansiedade
  • Pânico
  • Depressão
  • Angústia
  • Comportamentos obsessivos
  • Acumulação
  • Paranoia
  • Reações de evitação
  • Sensação de desesperança
  • Ideação suicida 
  • Atos consumados de suicídio
A recuperação da saúde mental para enfrentar a pandemia

A pandemia de Covid-19 é assunto sério, e quanto mais estudos são realizados, mais concluímos que não é apenas a saúde física que é prejudicada.

A saúde mental pode ser extremamente impactada, e causar sérios prejuízos aos que sofrem esses efeitos.

Porém, aqueles que foram acometidos pela Covid-19 devem receber acompanhamento psicológico ou psiquiátrico, durante e depois do tratamento.

Todavia, não apenas esses, mas também aqueles indivíduos que não foram infectados mas sentem algumas dessas reações no organismo ou tem a percepção de queda na qualidade da saúde mental, também devem procurar auxílio profissional.

A saúde mental é fator decisivo para superarmos a pandemia. Precisamos nos encontrar saudáveis para ajudarmos os outros, e estar preparados para recuperar empregos e restaurar a economia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: